KidZania São Paulo

Sao Paulo

Nossa História

O Desejo de criar algo Inspirador

Tinha chegado a hora. Já não dava mais para aguentar. Algo precisava ser feito e as crianças foram as únicas a fazê-lo. A história da KidZania começa como todas as grandes histórias começam, com paixão idealista e um espírito inabalável, fomentado pelo desejo comum de criar um mundo melhor.

Nada aconteceu de um dia para o outro, foi um processo demorado. E não aconteceu apenas em um lugar só, ocorreu nas mentes de inúmeras culturas em todos os continentes. E não foi só rebelar-se por algum motivo adolescente, mas sim para fazer melhorias por motivos maravilhosamente idealistas, cheios de princípios e valores, paixão e compromisso. O que aconteceu é que as crianças do mundo inteiro ficaram muito inspiradas.

As crianças estavam completamente exasperadas vendo como os adultos gerenciavam o mundo. Do ponto de vista de uma criança, as coisas não estavam indo tão bem quanto poderiam estar e havia poucas esperanças de que isso fosse melhorar em curto prazo. Os governos atuavam de forma ineficiente, as sociedades se tornavam cada vez mais injustas, valiosos recursos eram frequentemente desperdiçados e os valores eram cada vez mais negociáveis.

Com o desmoronamento dos princípios e o aumento da violência ficou claro que as crianças herdariam um mundo menos perfeito. Algo precisava ser feito e as crianças estavam preparadas para agir.

Nasce um espírito

O nascimento desta ideia foi o resultado de muitos compartilhando um pensamento parecido, muito mais um estado de espírito do que um lugar físico. Foi o pensamento coletivo de crianças no mundo inteiro imaginando algo melhor que levou à sua criação. Sem se preocupar com raça, religião ou cultura, o espírito de sua ideia transcendeu a geografia para se enraizar em uma visão utópica de como seria um mundo perfeito onde tudo funcionasse bem. Seria um mundo cheio de oportunidades, onde crianças poderiam afirmar-se e ser responsáveis.

Seria um mundo cheio de possibilidades para compartilhar ideias e adquirir conhecimento. Seria um mundo onde as crianças poderiam pensar e agir independentemente dos adultos. O que as crianças visavam era aperfeiçoar o mundo real, tornando-o “o local” onde as crianças gostariam de estar.
É óbvio que um mundo como este exige um elevado grau de prontidão e uma base sólida para alcançar o sucesso. Para realmente criar um lugar funcional, altamente estimulante, as crianças precisam estar bem equipadas e muito determinadas. Elas precisam melhorar suas habilidades, ampliar seus conhecimentos e ganhar experiência. A experiência é fundamental, todos os tipos de experiência em cada tipo de profissão e com todos os tipos de tecnologia imagináveis. Se as crianças deveriam estar prontas para aplicar suas ideias, uma vez que entrassem no mundo adulto com 14 anos de anos, o treinamento e a experimentação seriam essenciais para realizar os seus planos. Mas primeiro, tinham que identificar o que era realmente importante para elas e começar a fazer valer esses direitos.

Definindo os direitos

Tornar o mundo um lugar melhor é uma ideia grandiosa, mas as crianças também sabiam que seria o caminho para o autoempoderamento. Suas ideias as levariam a transformar os seus sonhos em ações e efetuar as mudanças que visavam. Também daria às crianças o poder de exercer os seus direitos, que foram definidos como sendo essenciais para os princípios e objetivo de sua crença. Como ponteiros de uma bússola, estes direitos orientariam as crianças para alcançar seus objetivos.

SER

O poder de autodeterminação, de ser único e livre em harmonia com a humanidade. Este direito está baseado na eterna ideia de liberdade: o poder de agir, de falar e pensar sem impedimentos ou barreiras.

SABER 

A capacidade de ser curioso e experimental em nem sua própria educação. Este direito exige livre acesso e uma mente aberta para obter conhecimento e experiência, desafiando cada um a sempre questionar o status quo.

CRIAR

A capacidade de ser inovador, inventar coisas novas. Este direito apela à descoberta de percepções originais para criar projetos eficazes e valiosos; a iniciativa de novas soluções para os problemas da humanidade com pensamentos originais e úteis.

COMPARTILHAR

O benefício de ser generoso e atencioso com si mesmo e os outros. Este direito fomenta a crença de uma forte ética, uma vontade de colaborar, para trabalhar juntos de formas raramente imaginadas; formar um espírito baseado no compartilhamento.

CUIDAR

A responsabilidade de ser solidário e proativo com o meio ambiente. Este direito é essencialmente um compromisso de conscientização e engajamento com o bem-estar e proteção do mundo natural.

BRINCAR

A capacidade de ser lúdico e participar ativamente da vida. Este direito está enraizado no desejo atemporal de relaxar e desfrutar da vida; dedicar a energia e o tempo para tornar a vida uma jornada divertida e gratificante.
 

Inalienáveis e atemporais: esses direitos são mais do que direitos; são os fundamentos para nos preparar para o mundo real e conquistar a felicidade. Ao definir os seus direitos, as crianças deram um passo importante em expressar a sua visão. Em seguida, elas precisariam alcançar crianças no mundo todo. Estava na hora de agir.

A nação recebe um nome: KidZania

Após algumas considerações e discussões, as crianças escolheram o nome de sua nação: KidZania. O nome pode ser traduzido como: a terra das crianças legais. Isso fez sentido para as crianças porque queriam que sua nação tivesse tudo a ver com crianças. Um nome como KidZania capturou o espírito e a finalidade de sua nação e as identificou como um país. Foi perfeito; a nação da KidZania era um país com crianças do mundo inteiro!

Os Guardiões de Direitos

A história da KidZania criou cinco personagens notáveis: o aventureiro Urbano, o criativo Beebop, a atenciosa Chika, a cuidadosa Vita e o divertido Bache, seu cão de estimação.
Atuando como lembretes físicos dos direitos que formam a base da nação, os “Guardiões de Direitos” representam os mais importantes valores ideais da KidZania. São os moradores mais ilustres da cidade. Uma viagem à KidZania deve incluir uma visita aos monumentos importantes que os eternizou. Para aproveitar melhor sua visita, aqui seguem alguns fatos interessantes sobre cada um dos personagens.

Estes personagens representam os ideais que formam a razão da existência desta nação. São considerados os Guardiões dos Direitos mais importantes da KidZania: ser, saber, criar, compartilhar, cuidar e brincar. Juntos oferecem um grande escopo de diversidade, características, gostos e perfis, o que os torna facilmente reconhecíveis.

Urbano representa o aspecto da infraestrutura da KidZania, Beebop simboliza sua fase artística, Chika caracteriza suas tendências, Vita personifica a preservação da natureza e Bache mostra a perspectiva de diversão.

Siga a gente nas redes sociais